Residência de primeiro morador beneficiado com o programa “Casa Caiçara” já está em execução em Ilhabela – Prefeitura Municipal de Ilhabela

Residência de primeiro morador beneficiado com o programa “Casa Caiçara” já está em execução em Ilhabela   Prefeitura Municipal de Ilhabela
Residência de primeiro morador beneficiado com o programa “Casa Caiçara” já está em execução em Ilhabela Prefeitura Municipal de Ilhabela

Obra foi vistoriada por representantes da Comissão Técnica das Comunidades Tradicionais (CTCT) e Legislativo

 

A residência do primeiro morador favorecido pelo programa “Casa Caiçara” já está em execução na Comunidade Tradicional Saco do Sombrio, no Leste de Ilhabela.

A obra foi vistoriada, na última terça-feira (18), por representantes da Comissão Técnica das Comunidades Tradicionais (CTCT), coordenados pelo presidente e arquiteto Julio Secco. Com o Programa, criado por meio da Lei 1.338, de 26 de dezembro de 2018, a Administração está autorizada a construir e doar moradias para famílias caiçaras de baixa renda. As moradias inseridas nesse programa são consideradas imóveis sem condições de reforma devido a problemas estruturais.

As cinco primeiras construções serão em Búzios (duas), Ilha da Vitória (duas) e Saco do Sombrio. São dois projetos de casas, um com dois quartos e 49m² de área construída e outro com um quarto e 33,5m², caso da residência do Sombrio. Além das cinco primeiras casas, outro lote de 20 moradias já está sendo analisado para atendimento pela CTCT.

O “Casa Caiçara” prevê a execução global da obra, com fornecimento de material, equipamentos e mão de obra, de acordo com projeto arquitetônico fornecido e em acordo com a legislação específica sobre Habitação Social nas Comunidades.

O projeto respeita a tipologia da Casa Caiçara encontrada nas Comunidades Tradicionais, com conceitos de sustentabilidade, conforto térmico e acústico. Os princípios de maior peso a serem observados são a utilização de materiais sustentáveis e com potencial reciclado. Serão utilizadas estrutura em eucalipto tratado, alvenaria em tijolo de solocimento, reboco de solocimento, esquadrias de madeira certificada, telhas cerâmicas colonial, energia elétrica por painéis fotovoltaicos, tratamento de esgoto por biodigestor, eficiência energética para todos os motores e equipamentos a serem instalados nas edificações.

“É grande a satisfação de ver o projeto saindo do papel. O processo burocrático durou cerca de dois anos e agora as comunidades começam a ser beneficiadas”, destacou Secco.

Na Mansa, os representantes da Prefeitura inspecionaram o andamento da reforma geral e ampliação da escola, que terá cozinha, sala de aula e alojamentos para os professores, sendo uma iniciativa da Secretaria de Educação, assim como na Comunidade da Fome, que passará a contar com uma sala de aula, uma sala multifuncional, alojamento para professores, refeitório, banheiros e sala para uso exclusivo da Secretaria de Saúde com banheiro. As obras devem ser finalizadas dentro de 20 dias, aproximadamente.

Ainda na Fome, os acessos e passarelas que cortam a comunidade foram vistoriados e seguem funcionando como previsto.

Também participaram da vistoria técnica o representante da Secretaria Municipal de Educação, João Paulo Souza e o vereador Antônio Marcos Silva, o Marquinhos Guti.

 

CTCT

A CTCT é composta por técnicos representantes de diversas secretarias municipais, e tem o objetivo de desenvolver o planejamento e execução de projetos de melhorias físicas nas 18 Comunidades Tradicionais do município. As equipes se deslocarão frequentemente às Comunidades para levantamento e verificação das necessidades de melhorias, além de promover reuniões com as Comunidades para acompanhamento das obras e da pós-ocupação.

Deixe um comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here